A DERROTA CHORADA

0

coluna-guerrinha

Algumas derrotas sA?o mais doloridas do que outras,A�inesquecA�veis, ainda mais quando acontece numa prova tA?o importante como A� o caso do GP Bento GonA�alves.

Em 1982, a prova mais importante dos gaA?chos e do turfe brasileiro tinha entre os concorrentes nada mais, nada menos, do que Zirbo e El SantarA�m, dois craques, que arrastaram uma multidA?o ao Jockey Club do Rio Grande do Sul.

Ao longo dos 2.400 metros ninguA�m tirava os olhos dos binA?culos dos dois protagonistas.

E eles corresponderam.

No meio da reta, El SantarA�m assumiu a ponta, abriu vantagem, soltou o grito da garganta dos torcedores.

ComeA�ava a se desenhar a primeira vitA?ria do campeA?o Jorge Ricardo na prova que ainda faltava no seu currA�culo.

Mas ai aconteceu o que ninguA�m imaginava: o melhor jA?quei brasileiro desarmou o cavalo nos 100 metros finais e, Zirbo, com o jA?quei paulistaA�Edson Amorim, arrancou como uma Ferrari na reta de A?mola.

E livrou pequena vantagem nos A?ltimos pulos.

Enquanto os responsA?veis pelo vencedor vibravam, os perdedores procuravam achar a explicaA�A?o para uma derrota.

E acharam: uma enormeA�ferradura de flores colocada a 50 metros do disco final.

Ela enganou o jA?quei Jorge Ricardo, que imaginou ser ali o fim do Grande PrA?mio e custou a maior tristeza na vida de muita gente.

 

VEJA TAMBÉM

Share.
Share.

Comentário